OLHAR IMORAL SOBRE A TELA













O artista plástico Cláudio Pegorim usa a arte como ferramenta de transgressão das certezas do corpo na exposição Olhar Imoral, a partir de 18 de novembro, às 19 horas, no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno. O mote da mostra é a imoralidade como um pré-conceito contido em 16 trabalhos de formatos e resoluções diversas, sempre abstratos em óleo sobre tela e madeira.


“O modo como as pessoas determinam a visão da arte só isso é uma imoralidade. Os meus trabalhos retratam minha vida, minha família, meus filhos, a resistência no olhar das pessoas em relação a arte. A imoralidade é ser livre.” Revelou Pegorim após ler a obra A Alma Imoral
(do rabino Nilton Bonder) e assistir ao espetáculo homônimo protagonizado pela atriz Clarice Niskier.

A obra Você me Corta e Vai, escolhida para ilustrar o convite da mostra, revela o universo da marcenaria, talvez oriundo da formação em arquitetura do artista, sua relação com a madeira e com o verniz. “Esse quadro é tratado como o princípio de tudo. A madeira falando pra mim. É um diálogo meu com a tela. Quando interfiro, deixa de ser madeira e vira obra. Por conta disso, oito trabalhos receberam o nome de Exercício de Ver Você. São oito pequenos formatos em óleo sobre madeira, uma série com o mesmo nome onde usa a lixa para dar cor e origem as imagens: “Nomeio meus trabalhos embora considere a visão do espectador uma experiência sensorial única. É muito comum procurarem uma posição e se não encontram encantamento é porque a bagagem pessoal não permite. Penso nisso toda vez que lembro de situações vividas, como a morte do meu pai, uma mudança pessoal radical. O ser humano tá estressado. O olho não pára mais. Há uma necessidade de renovação. A arte é inversa a essa corrida desabalada. É preciso deixar fluir a emoção” observa o artista.

Para ilustrar o conceito do evento, o pintor cita o escritor Nilton Bonder:

“há um olhar que discerne, há um olhar que enxerga, há um olhar que reconhece, há um olhar que desnuda, e não hesita em afirmar fidelidades perversas e traições de grande lealdade. Este olhar, é o da alma." Cláudio Pegorim deixa na alma do espectador as dúvidas da evolução, a angústia, a decepção, a expectativa e a frustração de não poder viver só de sua arte. Uma arte que já foi trabalhada com pigmentos retirados das terras de Tiradentes, em Minas Gerais, mais uma demonstração de sua verve visceral agora transmutada em passionalidade a ser vista no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno.


SERVIÇO

EXPOSIÇÃO "OLHAR IMORAL” – CCPCM

Abertura : 18 de novembro, às 19h

Visitação: de 19 de novembro a 10 de dezembro 2009 (segunda-feira, das 13 às 17horas; terça a sexta-feira, das 10 às 17h; sábados e domingos e feriados, das 10 às 15horas)

Encontro com o artista: 08 de dezembro (terça-feira), às 19h

Local: Centro Cultural Paschoal Carlos Magno

Rua Lopes Trovão, s/n°, Icaraí, Niterói

Tel.: 2610 – 5748

ENTRADA LIVRE

Comentários