Longa-metragem "Trash" chega ao Netflix



Impossível não lembrar de "Pixote - A Lei do mais Fraco", de Hector Babenco, e do mais recente "Cidade de Deus", de Fernando Meirelles, ao assistir o longa-metragem "Trash - A esperança vem do Lixo" -- que, pasmem, me passou batido à época de lançamento -- que chegou ontem ao Netflix.

Dirigido pelo inglês Stephen Daldry (O Leitor, As Horas), é baseado no livro de Andy Mulligan que se passa em um país fictício. Porém o próprio autor via o Brasil como uma possibilidade para a adaptação cinematográfica de sua obra. O filme, com roteiro de Richard Curtis, conta a história de três garotos pobres que, a partir de uma carteira achada em um lixão, encontram um código que leva à fortuna de um político corrupto.

Filme de 2014 segue a linha de clássicos como "Pixote" e "Cidade de Deus"

No elenco, além de não-atores Rickson Tevez (Rafa), Eduardo Luis (Gardo) e Gabriel Weinstein Rato), que se tornam revelação instantânea, grandes atores como Wagner Moura (José Ângelo), Stephan Nercessian (Santos) e o saudoso Nelson Xavier (Jeferson) -- o que, visto após sua morte, causa ainda mais comoção em quem sempre admirou seu trabalho. Selton Mello vive o maldito Fredereico Gonz e, como sempre, atua brilhantemente. Felipe Braga, roteirista brasileiro, ajudou a dar o tom do texto, que também teve a contribuição dos meninos estreantes do elenco. Também fica difícil não lembrar dos filmes "Tropa de Elite", dirigidos por José Padilha, quando vemos as criticas sociais ao sistema político, carcerário, às organizações religiosas e toda a corrupção que nos assola atualmente -- o que deixa ainda mais vibrante assistir o filme em julho de 2017. É profundamente atual.


Destaque para a direção de arte e o roteiro cuja sequencia se mostra perfeita. Não é o tipo de longa-metragem onde o destaque vai para o romance, ou o paradisíaco Rio de Janeiro turístico. Não enfoca cartões postais, mas reforça a importância da fé, da coragem e da perseverança. Já que uma das cenas finais, com o dinheiro caindo do céu no lixão, é impactante. Podia ter sido filmado ontem. (Leonardo Rivera)

Cotação: (✮✮✮✮)





Comentários